Kellys e Birkins





Conta o realizador Andrew Litvack que, em 1981, Jane Birkin viajava de avião, sentada ao lado do Presidente da Hermès, quando entornou o recheio da sua carteira para o colo à procura de qualquer coisa. Queixou-se que nunca conseguia encontrar nada, que não tinha espaço para enfiar todos os seus pertences (e na altura incluiam-se as fraldas da filha, Charlotte Gainsbourg) e que estava farta de procurar a carteira ideal.
O presidente da Hermés ofereceu-se para criar uma carteira onde pudesse pôr tudo o que quisesse e mais alguma coisa. Diga-se que foi uma estreia para a Hermés, desde que Grace Kelly usou uma carteira desenhada pela famosa companhia para disfarçar a sua barriga grávida, fazendo a capa da revista Life (e baptizando-a com o seu noma a partir daí). A partir daí, toda a senhora bem posta via que uma pessoa que prezasse a sua elegância deveria carregar obrigatoriamente uma Kelly Bag.
Voltando à Birkin… A Jane Birkin fez um esboço do que seria a sua carteira ideal, criando assim o modelo que viria a ser chamado Birkin Bag e que se viria a tornar num dos símbolos do luxo levado ao extremo.
Meses mais tarde, após o fabrico da primeira carteira, a casa Hermès chamou Birkin para receber o primeiro protótipo. Ao sair com a carteira, perguntaram-lhe se não se tinha esquecido de nada. Foi aí que percebeu que queria que a pagassem. Foi reembolsada mais tarde e até hoje tem descontos na Hermès.
Em 2006, Jane Birkin comentou que a fama da carteira ultrapassou-a: "Agora, quando a minha filha vai aos EUA, perguntam-lhe se é filha da carteira." A Jane Birkin já não usa a sua Birkin. Aparentemente foi a causa da tendinite de que sofre e agora prefere usar carteiras à tiracolo.

Leave a Comment

Enviar um comentário

Eu sei que comentar é uma chatice, mas adoro saber as vossas opiniões. Obrigada!!