O blog da vizinha: Como tudo começou...





day227_lowres


Há sete anos mudei de emprego. A empresa era nova, eu estava sozinha no escritório e os tempos mortos eram muitos. Foi na altura em que os blogs começam a aparecer. Os americanos para variar começam por ser os pioneiros, começo a seguir alguns blogs e a achar piada à coisa. O que mais me atraía era a possibilidade de escrever, publicar e que alguma pessoa pudesse mesmo ler. Assustou-me mas o estar do lado de cá dava-me a privacidade suficiente para me sentir à vontade. Ora bolas, se os outros conseguiam, porque não eu? Afinal, havia tanta coisa de que eu gostava que assunto não me havia de faltar.
Ora pois... Daí ao resto foi fácil. Ou quase. O nome foi escolhido de modo a que pudesse abranger uma série de assuntos - vão-me dizer que nunca leram a história do nome deste blog? -, a minha cabeça borbulhava com ideias para posts e mal podia esperar pra me sentar e escrever. Escrevia sobre tudo o que me apetecesse, mais ou menos como agora, mas mais para o lado piriri da coisa: cremes, carteiras, coisas de gaja. Mas a coisa não era tão simples como parecia no inicio. Era preciso tempo, disposição - e se eu sou uma pessoa de disposições, senhores! Era preciso visitas e comentários que não apareciam. Não havia redes sociais em barda como agora. Apanhávamo-nos no Flickr e pouco mais. Frequentei os cursos da Holly Becker, o Blogging Your Way, e aprendi imenso.
Fui escrevendo. Umas alturas mais que as outras - houve meses inteiros de silêncio. A Tia nasceu e aproveitei o blog para a divulgar. Mas o tempo era menos ainda e houve alturas em que me admirei que a conta não tivesse sido fechada. Houve várias falsas partidas. Promessas por escrito, mais do que as que me lembro. E depois fez-se clique e descobri algumas razões por que não escrevia tanto (esta era uma das que mais me pesava). Comecei devagar. As visitas voltavam e voltavam. Escrevia o que me apetecia. Comecei a falar do que vestiria de manhã, a dar na cabeça da vizinha que aparentemente tem o blog perfeito, o que me pareceu um boa desculpa para ajudar muita gente.
Qual é a ideia deste post? É só para vos dizer que, também esta vizinha tem altos e baixos. Tem dias em que nem lhe apetece ver o blog à frente (já foi pior, agora nem tanto) e tem outros dias em que dorme 3 horas porque a cabeça fervilha de ideias para posts (depois digo-vos como aproveitar essa onda de inspiração). Tenho a sorte de gostar imenso de escrever e de conseguir pôr cá fora o que me passa pelos poucos neurónios com que fui abençoada. Ter um blog é uma actividade gira, na qual cada vez mais acredito que me vai ajudar a trazer algo de bom, que me enche a cabeça mas que também me obriga a desligar. Não tenho de aparecer todos os dias, mas agora sabem que vou aparecendo mais aqui. Ah sim, e a história do vosso blog, querem contá-la nos comentários?

Imagem de Lisa Congdon

Leave a Comment

  1. Cá está! ;)
    Esta seguidora de há uns tempos acha que o teu blog tá cada vez melhor.

    (E tenho de admitir que ainda não tinha lido o "about moi".. shame on me!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A falha de nunca teres lido o "About Moi" fica perdoada com a parte do "o blog está cada vez melhor"! Obrigada!! Beijinhos!!

      Eliminar
  2. Olá Ana.

    Sim,vou comentar,com muito gosto.

    Como já lhe disse anteriormente, revejo-me muito nalgumas citações suas.
    Sim, isto de ter um blog (á séria) é muito auto -motivante e interessante,mas pareceu-me também mais fácil no inicio, sou muito reservada ( mais que a Ana certamente) tenho pouco jeito" para deitar cá para fora sentimentos,intimidades,e pouco imaginativa para "conversar" sobre assuntos genéricos, até porque penso logo: "Mas que interesse isto poderá ter para os outros?",por isso tento focar-me mais na criatividade do meu trabalho. Sim, verifico também que no inicio, postar no blog é como "pregar no deserto",o silêncio é quase total,no meu caso mais ainda. Fui espreitar o blogging your way e pareceu-me fantástico para quem precisa de ajuda nesta área (como eu), tenho pena, seria grande ajuda certamente,agora está fora de questão para mim ingressar,é relativamente caro.

    Beijinhos
    Obrigada por me "ouvir" <3
    Rosa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Rosa!
      A partir do momento em que lhe interessa a si, é meio caminho andado para pôr cá fora uma "história" com pernas para andar. Aí meia batalha está ganha porque basta acreditar no que fazemos para que os outros se sintam contagiados! E há sempre alguém que se interessa, pode é ainda não ter dado com o seu blog! E uma das formas infalíveis de conseguir ter visitas é visitar outros blogs e comentar!! Beijinhos! Gosto muito de a ouvir - há dias em que é uma boa inspiração para mim! :D

      Eliminar
    2. A sério? Eu,boa inspiração?? Bolas,até fiquei zonza...
      Obrigada pela motivação...

      Eliminar
    3. Claro que sim!! Um dia destes explico! Beijinhos!!

      Eliminar
  3. Nós estamos cá à menos de 1 ano, tudo por causa de um filho pouco dado a computadores (obrigava-o a ler e a mexer no computador)
    Já seguia anonimamente muitos blogs, cá dentro e lá fora, um dia não sei como consegui escrever o 1º post, sempre com a ideia que só o R me lia... depois foi crescendo, mas não passa de um diário caseiro, um blog sem grandes pretensões, mais um testemunho de vida, do lado bom da vida, a juntar a tantos outros... embora tenha algumas ideias para o futuro, mas não passam para já de ideias... Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se há ideias, põe-nas cá fora já! Não tenhas receio - a agora aplica-se lindamente o "olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço! - de não ter tudo pronto. Vai-se aprendendo pelo caminho! Não duvidaste em tempos que nunca conseguirias publicar o que quer que fosse? Não tens um blog, Maria Rita? Vamos, bora!! :D

      Eliminar
  4. Gostei imenso de ler a história do teu blog e este post. Consegui rever-me nessas "falsas partidas". Até houve vezes em que deixei o meu blog meio abandonado. :\
    Eu tenho blogs desde o meu 11º ano (portanto 2003/2004) e é como dizes; nessa altura havia blogs americanos e pouco mais, mas eu adorava. Comentava os deles e eles comentavam o meu. Ainda sei ir dar a alguns dos blogs que tive, cheios de angústia adolescente.
    Foram vários ao longo dos anos, mas algures em 2008 criei o Joan of July e por aqui fiquei. Fui tendo outros, mas só fui fiel a este. ;) Nessa altura tinha acabado a licenciatura e estava meia perdida na vida, sem saber o que fazer a seguir. Então criei o blog para poder "desabafar" e encontrar-me sempre que precisasse. Gosto imenso de rever posts antigos por causa disso, para ver o quanto evoluí. :)

    Um beijinho, Ana.*

    www.joanofjuly.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este é o meu primeiro blog. Já deu voltas, gosto de ver a evolução e chego a chorar de rir quando leio os primeiros posts!!! Aqui também desabafo, mas se calhar sou mais discreta. Posso estar chateada com alguém e venho aqui fazer uma "ode a uma parede" (olha uma ideia para um post?!). Sabe bem, não sabe? E a tua garrafa, como anda?

      Eliminar
    2. Estou a trabalhar nos meus objectivos, mas ainda não diria que cumpri nenhum a 100%. Já estive mais longe! E a tua? :)

      Eliminar
    3. Nada concretizado mas a trabalhar nos objectivos, tal como tu!

      Eliminar
  5. Olá Ana! É a primeira vez que comento aqui mas gosto muito de te ler. Invejo-te um bocadinho (confessar os pecados é libertador!) porque consegues ser fiel a um projecto. Eu meto-me em muitas coisas aos mesmo tempo. Porque gosto de escrever. Mas depois não tenho determinação para continuar. Continuarei a ler-te! Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Marta!! Obrigada pela visita (que bom que é ter os envergonhados a saírem da toca!)
      Não te deixes enganar.... Também ando sempre metida em mil coisas e já me conheço bem. Agora virei-me para aqui, mas daqui a uns tempos não sei se me vai apetecer!! Percebes??
      Beijinhos e volta sempre!

      Eliminar
  6. Nunca mais saímos daqui.... por isso é melhor não ;-)

    ResponderEliminar
  7. Ora bem.
    Este é o meu terceiro blog :-)
    O primeiro tinha o nome de fruta madura. Iniciei-o no final de 2004 e durante 4 anos - mais coisa menos coisa - recheei-o de palavras (minhas e dos outros) cheias de sentimento, que ainda hoje leio e sei exactamente a que se referiam. Quando me começou a faltar o combustível abandonei-o... está visível para quem o encontrar, mas moribundo à espera de ser ressuscitado. Era um blog envergonhado, também.
    Quanto ao PpM nasceu a 4 mãos - com a minha irmã - pela "necessidade" de escoar aquilo que fazíamos - algo que nunca correu muito bem, pois falta-me a veia comercial e a capacidade de produzir em série. Com os anos, as outras duas mãos foram deixamdo de tocar este piano que me ficou entregue e que transformei num espaço meu, com muito de mim, daquilo que gosto e que faço. É a minha janela para o mundo - é um dos meus "happy places". Já tive momentos de desânimo, já quase o fechei, mas bolas! eu gosto tanto de lá escrever, e quanto mais escrevo mais me apetece fazê-lo...
    ... Nota-se! Já escrevi aqui um testamento! Stop, Margarida, Stop!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faça o favor!!! Aqui não há limite de espaço para dar largas à vontade de escrever. E quer-me parecer que, depois de outros blogs e por muito que não queiras, o PpM está para ficar!!

      Eliminar
  8. olá, bom dia! curiosa esta abordagem para fundamentar a existência de um blog. a narrativa é concisa e ao mesmo tempo cheia de pormenores. eu, fui muito acarinhada por colegas que me diziam para o fazer. relutante, não segui o conselho, pois os que lia pareciam ter todos um fio condutor ou uma temática muito precisa. eu sou muito desorganizada e não tenho capacidade para me manter fiel a um só eixo. mesmo assim, não desistiram e disseram-me que me deixasse de parvoíces, que "botasse" lá o que me apetecesse em cada dia. acabei por fazê-lo. e cá estou. hoje, mudava-lhe o nome, mas agora fica assim! bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A melhor aposta é sempre seguirmos o nosso instinto Mesmo que os outros blogs tenham (ou pareçam ter) um fio condutor, muitas vezes não têm. Têm é uma estética ou um estilo que seguem, que é de tal forma trabalhado - e esses trabalho é incosncinete, muitas vezes - que parece que há algo que os mantém coerentes. Mas, já agora, fiquei curiosa :), porque é que acha a minha abordagem curiosa? :D Beijinhos e obrigada pela visita!

      Eliminar
    2. curiosa , porque interessante. a contextualização feita para se abalançar nesta empreitada pode ser igual a muitas outras. mas, pelo facto de estar no meio de uma mudança de emprego ( há momentos de ansiedade...) um emprego que tinha momentos a precisarem de ser preenchidos, tendo sido esta a escolha, depois das espreitadelas no material do outro lado do oceano, achei curiosa...:)) boa semana. voltarei.

      Eliminar
    3. :) Entendido!!! E espero voltar a ver-te por cá!!

      Eliminar
  9. que interessante este percurso :) eu que venho do flickr e só te descubro no FB!
    ainda bem que não fizeste as malas de vez, porque gosto muito de te ler!
    já passei por vários blogs, uns mais anônimos que outros, e com partilhas mais ou menos pessoais, mas no fundo o que me leva a manter o actual, mesmo que praticamente abandonado, é a vontade de ter um sitio onde possa atirar uns desabafos quando me apetece :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É engraçado, porque já eu andava no Flickr e abri o blog antes de estar no FB. Mas estas voltas são giras!
      Ainda que abandonado, o teu blog é o teu sítio, se queres dizer mal, dizes, se queres falar da Lua ou das Estrelas falas, ninguém tem nada a ver com isso. Se consegues puxar seguidores a escrever "de cá de dentro" melhor ainda! Beijinhos!

      Eliminar

Eu sei que comentar é uma chatice, mas adoro saber as vossas opiniões. Obrigada!!